Follow by Email

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Sobre gratidão, empoderamento infantil, fé e outras histórias, num textinho muito curto

Na cama, chamegando antes de dormir, olhei pra ela e para o menino no meu peito e pensei: como a vida mudou depois deles, por eles. E para eles.

Estiquei minha mão e fiz um carinho nos cachinhos dourados da Ana Clara:

- Filha, obrigada. Obrigada de ter vindo para a minha barriga.

Tantas vezes minha mãe me agradeceu por isso, eu nunca entendi. Hoje eu entendo, mãe. Mas também não soube responder, numa vida inteira, tão bem quanto a minha pequena de quase 4 anos respondeu:

- De nada, mamãe. Sabe, foi Papai do Céu que me escolheu.

Deu aqueles nós na garganta que são apertados que só, mas que também são gostosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário